O nobre caminho óctuplo: o caminho do meio da prática

O nobre caminho óctuplo: o caminho do meio da prática

O clássico caminho antigo, e do Buddhismo Theravāda, é o Nobre Caminho Óctuplo que leva ao fim daquilo que é doloroso. Como pode ser visto na passagem de abertura *L.27, é o caminho do meio que evita ao mesmo tempo a busca pelos prazeres sensoriais e a autotortura severa que pode ser encontrada entre os ascetas. É um caminho moderado de restrição do apego aos prazeres sensoriais, seja como monástico ou pessoa laica.

Th.99 Os fatores do nobre caminho óctuplo

Esta passagem explica os fatores do caminho. Estes não são tanto “passos no caminho” quanto fatores que devem ser reunidos e desenvolvidos a um grau suficiente para que o caminho faça o seu trabalho.

E o quê, monges, é a perpectiva correta? A compreensão do doloroso (dukkha), a compreensão da originação do doloroso, a compreensão da cessação do doloroso, a compreensão do caminho para a cessação do doloroso: isso, monges, é chamado de perpectiva correta.

E qual é a decisão correta? Decidir-se pela renúncia, pela liberdade em relação à má-vontade, pela inofensividade: isso é chamado de decisão correta.

E o que é a fala correta? Abster-se de mentir, do discurso divisionista, do discurso duro e da conversa inútil: isso é chamado de fala correta.

E o que é a ação correta? Abster-se de tirar a vida, de tomar o que não é dado (roubar), da má conduta em relação aos prazeres sensoriais (abusos sexuais): isso é chamado de ação correta.

E o que é o modo de vida correto? Aqui, um nobre discípulo, tendo abandonado a subsistência desonesta, mantém a sua vida com o modo de vida correto: isso é chamado de modo de vida correto.

E o que é o esforço correto? Aqui, um monge gera desejo, esforça-se, desperta vigor, defende e exercita a sua mente para o não-surgimento de estados prejudiciais e insalubres que ainda não surgiram… para o abandono dos estados prejudiciais e insalubres que já surgiram … para o surgimento de estados saudáveis que ainda não surgiram… (e) para a manutenção, não-confusão, aumento, plenitude, desenvolvimento e culminação dos estados saudáveis que já surgiram: isso é chamado de esforço correto.

E o que é a vigilância correta?  [345] Aqui, um monge permanece, em relação ao corpo, reflexivamente observando o corpo, dotado de esforço, compreendendo claramente e de modo vigilante, removendo o intenso desejo e a infelicidade em relação ao mundo. Ele permanece, em relação às sensações, reflexivamente observando as sensações, dotado de esforço … em relação à mente, reflexivamente observando a mente, dotado de esforço … em relação aos padrões da realidade, reflexivamente observando os padrões da realidade, dotado de esforço … isso é chamado de vigilância correta.

E o que é concentração meditativa correta? Aqui, um monge – bem afastado dos desejos sensoriais, afastado dos estados prejudiciais (da mente) – entra e permanece na primeira absorção meditativa … [Segue-se uma descrição das quatro absorções meditativas, no qual ver *Th.140]. Isso é chamado a Verdade dos Nobres que é o caminho que leva  à cessação do doloroso.

Mahā-satipaṭṭhāna Sutta: Dīgha-nikāya II.311–313, trad. P.H.

 

Th.100  Dois níveis do caminho

Esta passagem torna claro que o caminho tem uma maneira preparatória preliminar, na qual a perspectiva correta é a crença no karma e no renascimento, e uma maneira nobre completa, na qual a perspectiva correta é a sabedoria, implicitamente a perspectiva correta a respeito das quatro nobres Verdades, como na passagem anterior.

A perspectiva correta, digo eu, é dupla: Existe a perspectiva correta que tem inclinações intoxicantes, dotadas de benefício kármico, amadurecendo pelo lado do apego; e existe a perspectiva correta que é nobre, sem inclinações intoxicantes, que transcendo o mundo, um fator do caminho.

E o que, monges, é a perspectiva correta que tem inclinações intoxicantes …? (É a crença:) “Existem presentes, existem oferendas, existe (auto-)sacrifício … [aí segue-se a oposição precisa da perspectiva errônea descrita na passagem *Th.56, que nega o valor da doação e da boa ação, que elas tenham efeitos kármicos conducentes a bons renascimentos, os quais podem ser conhecidos pelos meditantes sábios.] …

E o que é a perspectiva correta que é nobre..?. Sabedoria, a faculdade da sabedoria, o poder da sabedoria, o fator do despertar da investigação-das-qualidades, o fator do caminho da perspectiva correta daquele que, tendo desenvolvido o caminho nobre, é de mente nobre, dotado de uma mente sem inclinações intoxicantes, dotado com o caminho nobre.

Mahā-cattārīsaka Sutta: Majjhima-nikāya III.72, trad. P.H.

 

Th.101 Os fatores do caminho e os três treinamentos

Linguagem correta, ação correta e modo de vida correto: esses são estados incluídos no grupo da disciplina ética. Esforço correto, vigilância correta e concentração meditativa correta: esses são estados incluídos no grupo da concentração meditativa. Perspectiva correta e a decisão correta: esses são estados incluídos no grupo da sabedoria.

Cūla-vedalla Sutta: Majjhima-nikāya I.301, trad. P.H.

 

Notas:

[345] ver  * Th.138 para uma descrição completa deles.